Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Reitoria > IFS: melhor instituto federal do norte e nordeste
Início do conteúdo da página
IGC 14-15-16

IFS: melhor instituto federal do norte e nordeste

Escrito por GERALDO BULHOES BITTENCOURT FILHO | Publicado: Sexta, 01 de Dezembro de 2017, 17h15

IMG 3823Dos 40 institutos avaliados pelo Ministério da Educação em todo o Brasil, IFS ocupa a 9º colocação geral

No último dia 27, foi divulgado pelo Ministério da Educação (MEC) o Índice Geral de Cursos (IGC), indicador de qualidade relativo aos cursos de nível superior de instituições brasileiras. Pelo segundo ano consecutivo, o Instituto Federal de Sergipe (IFS) está entre as dez melhores da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica – com pontuação de 3,0395, alcançou o primeiro lugar entre as instituições de mesma natureza localizadas no norte e nordeste. Os dados correspondem ao triênio 2014-2015-2016.

2A pontuação obtida no IGC posicionou o IFS na faixa 4 em uma escala que varia de 1 a 5. As instituições com 4 e 5 são consideradas excelentes – entre todos os institutos federais, apenas 13 compõem o seleto grupo. Dos 13 cursos de graduação ofertados, foram avaliados os de tecnologia em Automação Industrial e o de Logística, as licenciaturas em Química e Matemática, e o bacharelado em Engenharia Civil.

De acordo com o reitor do IFS, Ailton Ribeiro de Oliveira, mais uma vez as avaliações do MEC refletem o empenho de gestores, servidores e alunos em tornar o IFS uma referência em educação. “Sem dúvida, somos uma instituição pública, gratuita e de grande qualidade, que está à disposição da sociedade sergipana. Nos últimos anos, trabalhamos incansavelmente para posicionar o IFS exatamente do jeito que ele está agora: no topo”, aponta o reitor.

Avaliação

O IGC é o resultado da média ponderada das notas de cursos de graduação e de pós-graduação stricto sensu. Para chegar ao número que consta no ranking, leva-se em consideração a média dos Conceitos Preliminares de Cursos (CPC) nos últimos três anos, ponderada pelo número de matrículas em cada um deles, a média dos conceitos da avaliação CAPES dos mestrados e doutorados na última avaliação também trienal e ponderada pelo número de matrículas nos programas. Além disso, também entra no cálculo do IGC a distribuição de estudantes entre cursos de graduação e pós-graduação.

*Com informações do MEC

 

Ranking

INSTITUTO FEDERAL DE BRASILIA
INSTITUTO FEDERAL GOIANO
INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE
INSTITUTO FEDERAL SUL-RIO-GRANDENSE
INSTITUTO FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO
CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS
INSTITUTO FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL
INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA
INSTITUTO FEDERAL DE SERGIPE
INSTITUTO FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL
INSTITUTO FEDERAL BAIANO
INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO
INSTITUTO FEDERAL DO RIO DE JANEIRO
INSTITUTO FEDERAL FLUMINENSE
INSTITUTO FEDERAL DO SUL DE MINAS GERAIS
INSTITUTO FEDERAL DO SUDESTE DE MINAS GERAIS
INSTITUTO FEDERAL DA PARAÍBA
INSTITUTO FEDERAL DE SÃO PAULO
INSTITUTO FEDERAL DE RONDÔNIA
INSTITUTO FEDERAL DE MINAS GERAIS
INSTITUTO FEDERAL DA BAHIA
INSTITUTO FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE
INSTITUTO FEDERAL DO CEARÁ
INSTITUTO FEDERAL DE PERNAMBUCO
INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA
INSTITUTO FEDERAL DE GOIÁS
INSTITUTO FEDERAL DO AMAZONAS
INSTITUTO FEDERAL DO MARANHÃO
INSTITUTO FEDERAL DE MATO GROSSO
INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ
CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA
INSTITUTO FEDERAL DO TOCANTINS
INSTITUTO FEDERAL DO NORTE DE MINAS GERAIS
INSTITUTO FEDERAL DO PIAUÍ
INSTITUTO FEDERAL DO SERTÃO PERNAMBUCANO
INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS
INSTITUTO FEDERAL DE RORAIMA
INSTITUTO FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO FEDERAL DO AMAPÁ
INSTITUTO FEDERAL DO ACRE
Fim do conteúdo da página