Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Tobias Barreto > Bibliocine promove resgate da cultura nordestina
Início do conteúdo da página
CULTURA

Bibliocine promove resgate da cultura nordestina

Criado: Quarta, 28 de Março de 2018, 09h12 | Publicado: Quarta, 28 de Março de 2018, 09h12 | Última atualização em Segunda, 02 de Abril de 2018, 11h54

 MG 5309Com o objetivo de aproximar a comunidade discente da cultura nordestina, Bibliocine promoveu exibição de documentário e debate sobre a história do cangaço.

O uso de produtos audiovisuais tornou-se uma grande ferramenta no processo de ensino-aprendizagem dos estudantes, pois consegue despertar de forma eficiente o senso crítico e argumentativo dos alunos. Ciente da importância desse recurso, no último dia, 22, o Instituto Federal de Sergipe – campus Tobias Barreto, realizou mais uma edição do projeto Bibliocine, no qual propôs aos estudantes refletirem sobre o resgate da história do nordeste, através da exibição do documentário Histórias do Cangaço, explanando a vida do personagem Lampião.

Com o propósito de dar espaço a essa cultura popular tão pouco difundida, o documentário promoveu a discussão acerca da questão: “Lampião, herói ou bandido?", provocando nos estudantes e servidores, uma visão crítica sobre o assunto. A temática abordada mostrou-se rica para incorporar e preservar nos estudantes, a fim de que valorizem a história da qual fazem parte, diminuindo o preconceito e evidenciando suas origens.

 MG 5312Para o bibliotecário do campus, é necessário que outras instituições de ensino revejam sua proposta pedagógica, e tragam para o aluno a riqueza da qual fazem parte, a fim de preservarem a história local, não dando destaque somente à outras culturas e deixando-se esquecer da nossa. “Ações como essa, provocam no aluno o sentimento de aproximação e respeito pelas grandes histórias do nordeste e seus personagens, pois cabe a nós, educar numa lógica diferente, afastando velhos paradigmas que rotulam regiões como inferiores à outras ” destaca. 

"O projeto que tem o objetivo de fazer com que a biblioteca vá além da concepção tradicional da leitura de livros, ainda incentiva aprender com as diferenças e interagir o tempo todo com a empatia e o respeito por nossa inestimável cultura", acentua um dos participantes do debate, o servidor, Robson Dantas.

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página