Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Aracaju > Quatro intérpretes de Libras passam a atuar no campus Aracaju
Início do conteúdo da página
INCLUSÃO

Quatro intérpretes de Libras passam a atuar no campus Aracaju

Escrito por MARINEIDE BONFIM BASTOS | Criado: Sexta, 02 de Agosto de 2019, 11h27 | Publicado: Sexta, 02 de Agosto de 2019, 11h27 | Última atualização em Sexta, 02 de Agosto de 2019, 11h40

Com a ampliação do número de profissionais, instituição quer melhorar atendimento aos alunos surdos

DSC 0861 b marca daguaO campus Aracaju do Instituto Federal de Sergipe ganhou um importante reforço para este semestre e o próximo ano letivo. Nesta quinta-feira, 1º de agosto, chegaram à instituição três profissionais técnicos especializados em linguagem de sinais para atender estudantes com deficiência auditiva. O campus tinha apenas um intérprete de Libras, a servidora Eliana Alves Batista Santos.

Daniel Seixas Lima Oliveira, Débora Moreno Diniz e Lidiane Sacramento Soares foram contratados por meio de um processo seletivo simplificado, lançado no final do ano passado pelo IFS, com prova prática realizada em janeiro deste ano. Os profissionais chegam ao campus no período em que a instituição recebeu novos alunos, aprovados nas modalidades técnico subsequente e graduação 2019.2.DSC 0854 b marca dagua

Atualmente, o campus Aracaju tem sete alunos surdos. A intérprete Eliana Alves destaca a importância do profissional na instituição, especialmente como mediador do ensino e aprendizagem. “Um dos resultados da atuação do intérprete é garantir a permanência do aluno na escola, evitando o abandono dos estudos” , afirma.

As pessoas surdas conquistaram avanços importantes a partir da Lei 10.436/2002 que regulamenta a Libras como a segunda língua oficial do Brasil.

ATUAÇÃO DENTRO E FORA DA SALA DE AULA

DSC 0859 b marca daguaEntre as atribuições do tradutor e intérprete estão: efetuar comunicação entre surdos e ouvintes, surdos e surdos, surdos e surdos-cegos, surdos-cegos e ouvintes, por meio da Libras para a língua oral e vice-versa; interpretar, em Língua Brasileira de Sinais - Língua Portuguesa, as atividades didático-pedagógicas e culturais desenvolvidas na instituição , de forma a viabilizar o acesso aos conteúdos curriculares e, ainda, atuar no apoio à acessibilidade aos serviços da instituição.

Os três profissionais técnicos especializados em linguagem de sinais passam a integrar equipe do Núcleo de apoio às pessoas com necessidades específicas (Napne), setor responsável por desenvolver ações de implantação e implementação das políticas de inclusão. Todos trabalharão na modalidade de ensino subsequente. Daniel Seixas atuará no curso técnico em Edificações, Débora Diniz em Informática e Lidiane Soares, em Alimentos. A servidora Eliana Alves atua no curso superior de Gestão em Turismo.

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página