Essa pagina depende do javascript para abrir, favor habilitar o javascript do seu browser!
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > São Cristóvão > Professores do Campus São Cristóvão visitam maior fazenda de dendê da Bahia para aplicar técnica no instituto
Início do conteúdo da página

Professores do Campus São Cristóvão visitam maior fazenda de dendê da Bahia para aplicar técnica no instituto

Criado: Terça, 10 de Janeiro de 2017, 18h08 | Publicado: Quinta, 28 de Fevereiro de 2013, 11h02 | Última atualização em Terça, 10 de Janeiro de 2017, 18h08
Os professores Francisco Nogueira e Mônica Alixandrina, do Instituto Federal de Sergipe (IFS) - Campus São Cristóvão, visitaram, no início de fevereiro, a maior fazenda de dendê da Bahia, e segunda do Brasil, a fazenda Misericórdia. Os docentes percorreram as instalações locais com o objetivo de observar o processo de produção, coleta e beneficiamento do dendê para eventual implementação da cultura no campus.
 
f7
Segundo Francisco, o fomento à cultura possibilitará a produção do óleo de dendê e desenvolvimento de tecnologias ligadas aos biocombustíveis. "A grande quantidade de dendezeiros presente na área do instituto potencializa o desenvolvimento de novas tecnologias. Elas, por sua vez, possibilitarão a melhoria das condições socioeconômicas das comunidades que vivem ao longo do litoral sergipano, em função da presença de grande quantidade da palmeira", destaca.

"No Campus São Cristóvão existem cerca de 60 hectares da planta. As coordenações de pesquisa e agropecuária atuarão juntas em projeto para viabilizar ações que incluam o nosso dendê como objeto de produção, pesquisa e extensão, tornando-o um referencial para o campus", aponta Mônica. Para ela, a excursão permitiu conhecer todo o sistema de produção do dendê, desde o plantio até a colheita.

f4 f6 F1

F3Dendezeiros no Campus São Cristóvão

A posição geográfica e a biodiversidade latente, onde o campus está inserido, têm estimulado os pesquisadores locais. No caso do dendezeiro, de acordo com Francisco Nogueira, há aproximadamente 10 mil plantas da variedade Dura em área de Mata Atlântica, dentro do instituto. "Poderemos desenvolver variedades e produzir mudas comerciais da variedade Tenera, a partir do cruzamento com a variedade Psifera", explica.

Como o Campus oferece cursos de Agropecuária, Agroindústria, Agroecologia e Alimentos, as pesquisas realizadas com o dendezeiro e seu aproveitamento favorecerão o ingresso dos estudantes neste nicho de mercado, ainda pouco explorado em Sergipe.
registrado em: ,
Fim do conteúdo da página