Essa pagina depende do javascript para abrir, favor habilitar o javascript do seu browser!
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Glória > Formatura da 2ª Turma de Libras
Início do conteúdo da página

Formatura da 2ª Turma de Libras

Criado: Quarta, 11 de Janeiro de 2017, 18h07 | Publicado: Sexta, 06 de Mai de 2016, 11h30 | Última atualização em Quarta, 11 de Janeiro de 2017, 18h07
Turma de LibrasO Campus Glória comemorou no dia 31/03/2016 a certificação da segunda turma do Projeto LIBRAS: o encanto das mãos.

Com essa oferta de curso foram capacitados mais 38 profissionais ligados à educação. “Atingimos nosso objetivo maior: a capacitação dos professores. É uma grande satisfação ser multiplicadora na área de Libras e contribuir para melhorar a educação dos surdos. Desejo aos formados muito sucesso e aconselho a realizarem outros cursos de nível mais elevado na área de Libras”, destaca a ministrante Iranilde Rocha.

O Curso de Extensão em Língua Brasileira de Sinais - LIBRAS é fruto de uma ação do Núcleo de Atendimento às Pessoas com Necessidades Específicas – NAPNE do Campus Glória, que através do projeto LIBRAS: o encanto das mãos – desenvolvido e coordenado pela professora Iranilde Rocha – tem propiciado a quebra de barreiras atitudinais e a difusão da cultura e identidade surda no Alto Sertão. “A equipe multidisciplinar do NAPNE do Campus Glória fica feliz em colaborar para a formação de agentes transformadores dessa realidade”, afirma Beatriz Fonseca, Coordenadora do NAPNE.

Segundo Edirene Melo Santana Souza, professora da Rede Estadual de Ensino e certificada pelo Curso de LIBRAS: “O curso trouxe para mim e para os demais um conhecimento muito útil que já posso usar com alunos surdos. Antes era difícil a comunicação, mas hoje, até trocamos informações sobre os conteúdos em Libras. Este fato significa muito para o trabalho de inclusão”.

O Diretor do Campus Glória, Adelson Fonseca, é um grande incentivador do curso em LIBRAS, e afirma: “Trata-se de um projeto de inclusão, e o IFS existe, também, para oportunizar o acesso à educação. E não se trata somente de um curso de LIBRAS, mas do entendimento de que existe uma cultura surda, como existe a dos ouvintes. E ignorar essa situação é uma postura deseducadora”.
registrado em: ,
Fim do conteúdo da página