Essa pagina depende do javascript para abrir, favor habilitar o javascript do seu browser!
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > São Cristóvão > Capoeira, maculelê e samba de roda movimentam o Campus São Cristóvão
Início do conteúdo da página

Capoeira, maculelê e samba de roda movimentam o Campus São Cristóvão

Criado: Terça, 10 de Janeiro de 2017, 18h08 | Publicado: Sexta, 01 de Junho de 2012, 10h50 | Última atualização em Terça, 10 de Janeiro de 2017, 18h08
O timbau substituiu a bola, a trave cedeu lugar ao berimbau, os tênis foram deixados de lado e a tradicional aula de educação física ganhou contornos de uma grande roda de capoeira no pátio da Coordenação Geral de Assistência ao Educando do Instituto Federal de Sergipe (IFS) – Campus São Cristóvão. A atividade, desenvolvida no dia 17 de maio pela professora Thaise Alves e implementada pelos alunos do 2º ano, contou com a participação do grupo capoeirista 'Atrevidos', de Rosário do Catete, além de apresentações de maculelê e samba de roda.

A temática, com influência africana, foi definida a partir de conteúdos ministrados durante a disciplina. “O conceito, a história e alguns movimentos das expressões originárias da África foram apresentados aos estudantes durante o último bimestre. Partimos do entendimento de que o homem é um ser historicamente construído e culturalmente modificado dentro de uma sociedade, capaz de interferir e sofrer influências. O ensino da capoeira na escola, por exemplo, tem relevância na formação de um ser humano criativo, produtor, reprodutor e transformador cultural”, aponta Thaise.

Para os alunos envolvidos na atividade, disciplinas com formatação diferenciada proporcionam estímulo às práticas esportivas. “Sabemos que a ação tem um intuito motivacional, a sua relevância está em sairmos da rotina. Com a aula, percebemos que a capoeira é uma arte transformada em educação”, pontua o estudante Eric Oliveira.

Além do aspecto cultural e do condicionamento físico, a capoeira, o maculelê e o samba de roda possibilitam também uma abordagem social. “A partir de estímulos como esse, é possível inibir o acesso dos jovens às drogas e à marginalidade, além de auxiliar na defesa pessoal. Por isso, iremos elaborar um projeto para implantação de aulas regulares de capoeira no Campus São Cristóvão”, destaca o mestre Canelão, responsável pelo grupo 'Atrevidos'.

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página