Essa pagina depende do javascript para abrir, favor habilitar o javascript do seu browser!
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Ex-aluno do IFS consegue bolsa de estudos na Universidade de Nova York
Início do conteúdo da página
SUPERAÇÃO

Ex-aluno do IFS consegue bolsa de estudos na Universidade de Nova York

Criado: Segunda, 05 de Outubro de 2020, 13h40 | Publicado: Segunda, 05 de Outubro de 2020, 13h40 | Última atualização em Sexta, 09 de Outubro de 2020, 15h04

Klethon Gomes vai participar de uma palestra on-line dia 8 de outubro para falar da experiência de estudar no exterior

Por Carole Ferreira da Cruz

Aluno IFSHistórias inspiradoras sempre contagiam aqueles que sonham alçar voos com as asas da educação. Ex-aluno do Instituto Federal de Sergipe (IFS) – Campus Aracaju, Klethon Gomes dos Santos, 21 anos, figurou entre os primeiros candidatos de uma escola pública brasileira a conquistar em 2020 uma bolsa integral de estudos na Universidade de Nova York – Campus Abu Dhabi (NYU ABU DHABI) e hoje é referência para milhares de jovens que almejam um futuro promissor.

Para falar da experiência de fazer um curso superior no exterior, Klethon irá participar de uma palestra on-line destinada a estudantes de ensino médio com o representante da NYU ABU DHABI, Danny Parra. O palestrante vai explicar os benefícios do programa de bolsas de estudos, os procedimentos e pré-requisitos necessários para concorrer a uma vaga e, por fim, ensinará como se preparar para a seleção. A língua usada será o Português.

Aluno NYA palestra vai ocorrer no próximo dia 8 de outubro, às 14h (Horário de Brasília), na plataforma Zoom Video Webinar. Os interessados em participar precisam se registrar no link https://connect.nyu.edu/register/IFS para, em seguida, receber a confirmação e o acesso à sala virtual. Em caso de dúvidas, os organizadores recomendam enviar e-mail para: nyuad.latin.america@iie.org.

Klethon Gomes chegou a NYU ABU DHABI no início de setembro para iniciar os estudos. Antes disso, em fevereiro, já havia visitado o campus para participar da rodada de finalistas conhecida como Candidate Weekend (CW), que faz parte do processo de admissão para os candidatos selecionados. “O processo CW ajuda os candidatos a determinar se NYUAD tem o ambiente que eles esperam e, graças isso, Klethon se encontra num ambiente que já lhe é familiar e agora tem uma carga acadêmica em tempo integral e mora nos dormitórios estudantis da NYUAD”, explicou Danny Parra.

Imersão cultural

O estudante conta que tem sido uma experiência incrível. “A NYU ABU DHABI é uma das universidades mais internacionais do mundo, com alunos de mais de 115 países, então todos os dias eu aprendo algo novo. Tenho amigos do Líbano, Filipinas, Hungria, EUA, China, Cazaquistão e a lista continua. Além da imersão cultural muito enriquecedora, as aulas e os professores são maravilhosos. As turmas geralmente são bem pequenas, com menos de 20 alunos, então os professores te conhecem pelo nome e a interação professor-aluno é muita maior também. O campus é lindo e as pessoas muito gentis!”, revelou.

ProfessoraKlethon reconhece que a formação obtida no IFS foi decisiva para sua aprovação. “Tenho muito claro que sem o IFS eu não teria chegado tão longe. Principalmente porque foi através da bolsa que recebia da CAE como trainee que consegui pagar um curso de inglês durante o ensino médio integrado. O curso me deu uma boa base para continuar estudando sozinho, além dos professores de língua inglesa do IFS que me ajudaram muito, em especial Alzivane e Gilvânia. Além dessas oportunidades, ter acesso a projetos de pesquisa, conferências, trabalhos voluntários e outros projetos com certeza fizeram toda a diferença”, destacou.

Realização de um sonho

Klethon Gomes concluiu o Curso Técnico Integrado em Informática do IFS em 2016 e, desde sempre, perseguia o sonho de estudar no exterior. Na NYUAD os alunos têm dois anos para decidir que área pretendem cursar, mas, por enquanto, sua intenção é se formar em Literatura e Ciências Políticas. O desempenho acadêmico dos bolsistas em geral é alto. A proporção aluno-professor é de 4:1 e todos têm acesso a atividades esportivas, programas de mindfulness e de saúde mental. “Portanto, a NYUAD os ajuda a manter um equilíbrio entre a saúde mental, a saúde física e a responsabilidades acadêmicas”, ressaltou Danny Parra.

Segundo o representante da universidade, os programas de bolsas para estudantes de países em desenvolvimento, como o Brasil, são de extrema importância. “A NYUAD é um ambiente que se baseia numa universidade com responsabilidade social e promove a inclusão na diversidade de culturas, religiões, diferenças socioeconômicas, ideologias políticas e disciplinas acadêmicas. Deixar de incluir os países em desenvolvimento seria ter uma visão muito curta do que é necessário para treinar os próximos líderes globais e esta é a missão da NYUAD: treinar cidadãos cosmopolitas que serão os próximos líderes internacionais”, enfatizou.

Klethon Gomes é descrito pelos professores que o acompanharam no IFS como um aluno esforçado, comprometido e estimado por todos. “Ele sempre se destacou na turma, se dedicava muito aos conhecimentos de inglês, era muito aplicado e tinha essa grande vontade de estudar no exterior. Desde aquela época ele já atendia aos requisitos de muitas dessas instituições internacionais de educação, que era a questão da fluência, de ter boas notas, do voluntariado, de ser uma pessoa benquista no ambiente onde vive e trabalha”, contou Gilvânia Souza, que há 25 anos ensina no IFS.

O estudante participou de várias seleções para ingressar em universidades fora do Brasil e normalmente alcançava bons resultados. Nesse período, recebeu todo o apoio necessário do IFS para a obtenção de documentações e cartas de recomendação e sempre contou a assistência dos professores. “O maior exemplo dele é o exemplo de luta e de superação, que serve de inspiração para qualquer um de nós. Me orgulho muito de ter sido professora dele e de partilhado esse caminho ao lado dele. Na verdade, é uma troca mútua todo esse processo que envolve professor-aluno e ensino-aprendizado”, reconheceu a professora Gilvânia Souza.

registrado em:
Fim do conteúdo da página