Essa pagina depende do javascript para abrir, favor habilitar o javascript do seu browser!
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > São Cristóvão > Biotecnologia é apresentada aos alunos em fábrica que produz mudas de frutíferas de qualidade
Início do conteúdo da página
GENÉTICA

Biotecnologia é apresentada aos alunos em fábrica que produz mudas de frutíferas de qualidade

Criado: Sexta, 24 de Mai de 2019, 11h07

2 scEstudantes aprenderam sobre pesquisas para a produção de mudas com espécies arbóreas da mata atlântica, a palma do sertão, o abacaxizeiro e a bananeira

Uma das áreas mais promissoras para a agricultura brasileira é a que aproxima pesquisa científica de ponta com os processos biológicos. O nome para esse fenômeno é biotecnologia e os seus benefícios podem ser sentidos pelos agricultores quando eles recebem, por exemplo, mudas de plantas que são mais resistentes a pragas e doenças. No estado, a Biofábrica de Mudas de Sergipe é o melhor exemplo do trabalho de aplicação dessa técnica. Em virtude da qualidade da produção, na última segunda, 20, alunos do Instituto Federal de Sergipe – Campus São Cristóvão foram à fábrica para aprimorarem seus conhecimentos sobre o tema, bem como conhecerem as instalações, equipamentos e a rotina do laboratório.

3 scA aula fora das salas do Campus São Cristóvão foi voltada aos alunos do sétimo período do curso de nível superior em Agroecologia. Sarita Campos, professora da disciplina Fruticultura Agroecológica, ressaltou a importância da parceria entre o IFS e o Sergipe Parque Tecnológico  (SergipeTec), instituição que abriga a fábrica e que sempre  recebe com solicitude os alunos do campus, proporcionando um aprendizado significativo a respeito da produção in vitro. “É gratificante presenciar o entusiasmo dos nossos estudantes diante das possibilidades que a biotecnologia oferece. Além da sala de aula, através do contato com outras instituições, os estudantes são despertados para as inúmeras possibilidades do mundo do trabalho”, comenta Sarita.

A aula foi conduzida pelo Doutor em Biotecnologia Ronaldo Fernandes Pereira, que é analista da Companhia de Desenvolvimento do Vale São Francisco (Codevasf) e integra os quadros da Biofábrica. Na oportunidade, os estudantes receberam informações acerca de pesquisas realizadas para a produção de mudas com espécies arbóreas da mata atlântica, como a palma do sertão, o abacaxizeiro e a bananeira. “Eles tiveram noções sobre a importância das técnicas biotecnológicas na produção de mudas e como isso poderá ser utilizado nas suas vidas profissionais”, pontua Ronaldo. As primeiras mudas produzidas pela Biofábrica e repassadas para os agricultores foram de banana e abacaxi.

Processo

Biofábrica 8A produção do abacaxi melhorado geneticamente na Biofábrica obedeceu inúmeros processos, alguns dos quais puderam ser visualizados pelos estudantes do Campus São Cristóvão. Tudo começa com a simples lavagem da fruta e a posterior extração de dez das suas gemas, que são manipuladas e dão origem, após alguns meses, a cerca de quinhentas mudas.  Em um ambiente controlado, as sementes são cultivadas em recipientes adequados com nutrientes e sais. O processo finaliza com a passagem pela sala de crescimento e inclusão em viveiros, que servem como adaptação à fase do plantio.

Elaine Santos Vieira foi uma das estudantes que compareceu à Biofábrica e comenta que a experiência de ver como a teoria realmente funciona na prática é importante. Ela ainda ressalta que, durante a aula, foi possível perceber os desafios e as possibilidades da micropropagação, principalmente no que diz respeito ao leque de opções que para o mercado de trabalho. “Sem contar a possibilidade de contribuir para melhorar o desenvolvimento das mudas frutíferas, extraindo o melhor que cada espécie tem a oferecer, como por exemplo, a resistência a uma determinada praga”, revela Elaine.

Fim do conteúdo da página